Tecnologia do Blogger.
quarta-feira, 23 de maio de 2018

Um relato da exposição "Diário de Cheiros - Teto de Vidro"


No encontro do MidCid, o professor Doutor Wilton Garcia Sobrinho falou sobre a mostra ter objetivo de envolver a percepção na interação do corpo com o espaço

Para o professor, "uma exposição é para ser experimentada e não entendida"

Dando continuidade nas reuniões mensais do Grupo de Pesquisa Mídia, Cidade e Práticas Socioculturais (MidCid), o Professor Doutor Wilton Garcia Sobrinho trabalhou com a temática "Conexões, redes e resiliência em teto de vidro", nesta segunda-feira, 21 de maio. 

O encontro do MidCid discutiu o texto do Professor
Dr. Wilton Garcia Sobrinho realizado em parceria 
com a Professora Dra. Daniela Kutschat


O docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura, da Universidade de Sorocaba (Uniso), apresentou um texto realizado em parceria com a Professora Doutora Daniela Kutschat, que se originou a partir da exposição "Diário de Cheiros - Teto de Vidro", de Josely Carvalho (2018). Conforme Garcia ressalta, "o texto é um relato da experiência dessa exposição, porque exposição é para ser experimentada e não entendida". Esse trabalho foi divulgado no V Simpósio Internacional de Inovação em Mídias Interativas (SIIMI). 

Garcia conta que a mostra se desdobrava em dois movimentos: na criação de peças de cristal e no depósito de aromas, criados exclusivamente para a artista, em tais objetos. O propósito era envolver a percepção na interação da sensorialidade do corpo com o espaço, e em utilizar o olfato como resgate da memória. Na exposição, ao considerar a participação, o público era convidado a cheirar, tocar, ver e ouvir a obra de arte. 

Segundo o professor, a exposição incentivou a questão de enação, conceito de Francisco Varela. "É o deslocamento que o ambiente provoca que não só desestabiliza, mas traz outros parâmetros", explica. "O aroma intenso é provocativo; faz mexer com a subjetividade, algo que não temos muito domínio. Não tinha como sair ileso da mostra", completa. Para ele, num ambiente requintado e detalhado, foi trabalhado tanto a intensidade quanto a sofisticação. 

O próximo encontro do MidCid está marcado para 18 de junho. Nas reuniões de 2018, o grupo tem o objetivo de discutir "A Cidade depois do Fim do Mundo".


Texto: Jennifer Lucchesi
Fotos: Edson Antunes Filho